2015 – O ANO DOS DIAS FELIZES

Gosto de inícios. Da oportunidade de reCOMEÇAR, de novo ou  diferente. Começar. O verbo que se ilumina de esperança sempre que o conjugamos em todas as pessoas.Famelganatal2015

Na nossa família, durante o ano, há como que 3 momentos privilegiados para conjugar o verbo começar: depois das férias (normalmente o primeiro período a cinco, entre junho e julho), em setembro, quando começa o ano letivo e em janeiro, com um novo ano, prontinho a estrear: ideias, projetos, promessas, sonhos renovados!
Hoje que estamos a menos de 8 horas do último COMEÇO (the big one), é aquela altura que gosto de parar, folhear notas  percorrer posts e olhar para trás – agradecer, mais do que pedir…. – parar e passear pelas anotações e imagens que registam tudo o que de mais relevante nos aconteceu. A nós e ao mundo que nos rodeia. As coisas boas e as menos boas.
Este ano que passou tive uma ajuda preciosa para que hoje, 31 de dezembro de 2015, possa rever o ano e fazer este balanço, contornando algumas falhas de memória que vou sentindo. Na Agenda dos Dias Felizes guardei detalhes, datas, pensamentos, lugares, bilhetes e impressões de um 2015 fantástico que tivemos!salvadoragendaDevo ser a pessoa mais repetitiva na blogosfera, mas de facto somos uns sortudos, uns privilegiados, uns abençoados e abensonhados…se somos!
Além do essencial – saúde, amor e trabalho – ao percorrer 2015 sinto-me imensamente grata por por tudo o que tivemos oportunidade de viver , por todos os que fazem parte da nossa vida e se vão juntando ano após ano e por tantos sonhos que a cinco ainda queremos realizar!

REVENDO 2015:
#Continuámos a gozar todos de uma saúde incrível, a única visita do ano ao hospital (ou centro de saúde, com os miúdos) resumiu-se ao dia da alta do Salomão fechando um ciclo de (dizem eles) alergia ao glúten, ao qual nos adaptámos com facilidade durante 5 meses;
#A Casa do Benavente continua a ser o melhor local do mundo para vivermos e os nossos filhos crescerem: rodeados de uma paisagem que acompanha as estações, onde os miúdos podem ocupar a rua sem perigo e onde o horizonte é feito de céu, estrelas e arvoredo; Imagem 010#Os manos voltaram a celebrar a vida em mais uma festinha de aniversário onde se sopram desejos de 3 vidas e se reúnem os amiguitos dos mais velhos, a família e os amigos da família. Um dia sempre especial preparado com imenso carinho há 9 anos;
FestinhaManos2015#Tivemos dias de férias espetaculares em que, entre outros destinos no Oeste, fomos finalmente às Berlengas numa aventura muito divertida; passeámo-nos por Lisboa onde há sempre boas descobertas para fazer; desfrutámos de muitos dias de praia para lá de bons com imensos mergulhos e muitos amigos para os lados da Praia do Labrego (Vagueira);
fsm#Visitámos amigos e fomos visitados por amigos, acompanhámos os seus desafios pessoais e profissionais com enorme admiração e orgulho;
#Em abril o Salvador participou no seu primeiro campo de férias, longe de casa, e em maio recebeu o sacramento da Comunhão e passou a participar de forma ainda mais intensa e plena na eucaristia connosco;
#Em 2015 o Sebastião despediu-se dos primeiros dentes e aprendeu a andar de patins em linha, o Salomão aprendeu a andar de trotinete e recebeu a sua prenda de eleição: uma viola que não larga desde a consoada;
#A nossa velhinha carrinha renault já nos estava a dar várias dores de cabeça e apesar dos 8 anos em que testemunhou muitas das nossas aventuras, tivemos de comprar uma viatura nova para continuarmos a garantir a sustentabilidade e segurança nas deslocações;
27set2015#Em setembro conhecemos a nossa primeira sobrinha  – Calícia –  e durante umas semanas tivemos a famelga todinha por perto o que nos deixou de coração a transbordar e os primos todos contentes, já para não falar dos avós!;
#Despedimo-nos da bisavó Maria do Abel, num dia emocionante e bonito, como gostaria de regressar a cada partida: um lugar onde tudo faz sentido porque sim…
#Foi um ano repleto de cultura: vimos vários e bons concertos e conhecemos duas salas novas: Teca (Porto) e São Luiz (lisboa), algum teatro e as exposiçõess que selecionámos; além daqueles em que nos acompanham, continuámos a levar os manos ao teatro, a museus, a musicais, a parques e a espetáculos criados especialmente para crianças;
paiemaeemobidos#Fomos a muitos locais novos onde havemos de regressar e no nosso roteiro cultural  couberam grandes fins de semana: Festival Faneca (Ílhavo), Bons Sons (Cem Soldos) e Folio (Óbidos) onde assistimos à estreia do “Telhado do Mundo” um dos espetáculos mais emocionantes do ano;
#Este ano a semana do Natal não poderia ter terminado de forma mais especial: abrimos a casa e convidámos os amigos para um lanche de domingo de Natal. À volta da mesa a conversa estendeu-se até de noite, com os meninos de avental de mãos enfiadas na massa  a fazerem bolachas e depois às mil corridas pela casa e a dançar na sala…
miudos.jpg#Profissionalmente sentimo-nos pessoas realizadas, com as oscilações normais da motivação; em 2015 procurámos em tudo agir de acordo com a velha máxima do amor ao próximo: nem sempre é fácil, muito menos no servio público (onde nos olham numa de duas maneiras: como se tivessemos um rótulo na testa  –  “função pública” – ou como se fossemos uma raridade) mas é sem dúvida o melhor caminho, aquele que nos faz mais humanos e felizes;
#No ano que passou fizemos desenhos, pinturas, colagens, fotografias, arranjos florais, bolachas, bolos e filmes; dançámos, ouvimos e cantámos muitas músicas novas; criámos rituais familiares como o do CORDÃO e da oração da manhã; continuámos a fugir ao máximo a compras, shoppings e tv e nestes últimos meses vimos uma dezena de filmes inspiradores;
diadecomunhao#Em 2015 o mundo deu-nos muitos motivos para a desesperança, para chorar e nos reduzirmos à nossa impotência (vidinha banal) perante realidades crúeis (refugiados, atentados, terroristas, atrocidades gigantes), mas ainda assim nós fomos resistindo –  inspirados pela criatividade e ousadia de pessoas como o papa Francisco –  e procurando encontrar o nosso lugar neste mundo, ajudando em pequenos gestos que somados esparemos que possam fazer alguma diferença;

2015 foi um ano repleto de Dias Felizes.
Para 2016 desejamos a todos o melhor do mundo: saúde, amor e sonhos para realizar!
Nós por cá continuaremos a fazer por ser ser felizes, certos de que parte da nossa alegria é feita conspirando e partilhando da alegria dos outros!

“PASSOU A NUVEM; O SOL VOLTA.
A ALEGRIA GIRASSOLOU”
Fernando Pessoa

 

 

UM ANO DE VIDA

umaninho9.jpgO Salomão comemora hoje um ano de vida. O terceiro menino Girassol nasceu há um ano, na Maternidade Bissaya Barreto em Coimbra, perto das 18h30, naquele que foi o melhor parto dos três. Parece que foi ontem, pela frescura de todos os detalhes quando regresso ao 19 de abril de 2013. Já lá vão 365 dias e tantas experiências juntos: passeios, aventuras, sustos e tropelias! Uma vida num ano e com ela a descoberta diária das suas marcas pessoais e intransmissíveis, do sorriso escancarado ao sinal do tornozelo, passando pelo tom claro dos seus caracóis, pela gargalhada sonora e o seu jeito meigo de se aninhar em nós, de dedo na boca, a ajustar o sono. Salomão, menino pacífico que reinas entre nós,  que aqui permaneças por muitos e longos anos. NÃO SERÍAMOS ESTA MÃO CHEIA DE VIDA sem a música do teu coração nesta orquestra familiar.umaninho2.jpg

umaninho8.jpg
Um sorriso maroto ao colo da prima Rita

umaninho.jpg

umaninho4.jpg

FESTA & BOLAS, BOLAS, BOLAS…

barrigabolaHá um ano, por estes dias de abril, eu passeava esta bolinha na dianteira. A Primavera ía quente e  nessa semana de férias houve tempo para fazer muita coisa boa com ele abrigado em mim. Com 39 semanas o Salomão desafiava a minha gravidade e proporcionava-me uma intensa e melancólica despedida daquela que foi a 3ª gravidez. Talvez adivinhando que fosse a última!
A verdade é que o melhor estava para vir e a 3 dias de completar as 40 semanas, ele foi dando sinais que o nosso encontro estava quase a chegar. O que aconteceu a 19 de abril de 2013. O que veio sublinhar que a chegada da Primavera é sempre uma festa, uma grande celebração da vida. Entre 24 de março e 19 de abril celebram-se nada mais nada menos que 4 aniversários, os dos 3 dos manos e ainda o da avó Rosa, também no dia 1 de abril tal como o Sebastião. Assim, e tal como vem sendo tradição, “a FESTA” de aniversário é um momento que fazemos questão de celebrar e para o qual reunimos a família e os amigos: os nossos e os deles,  Tem sido assim desde 2007, se depender de nós será assim para sempre. A única diferença é que começámos com o 24 de março e agora temos 3 datas para comemorar. Solução: procuramos encontrar uma que seja consensual para os 5, esquecendo superstições e afins…FestaManos.jpgFestaManos3.jpgFestaManos2.jpg

Assim foi há 15 dias, dia 29 de março: demos o pontapé de saída para a celebração dos aniversários dos meninos cá de casa, reunimos a constelação de amigos e família e juntámos tudo numa MESA REDONDA para cantarmos os parabéns aos rapazes!

Foi uma tarde imensamente feliz: a alegria das crianças, as gulodices do lanche, os sorrisos estridentes, a casa repleta de amigos, as brincadeiras no exterior, as lembranças de quem conhece bem os nossos meninos, as conversas sobre os filhos, os reencontros adiados sine die e o rodopio das novas vidas geradas por nós.
No final de dias como este resta a gratidão por tanto e por tudo o que nos é dado a viver, a testemunhar e a partilhar. A casa ficou virada do avesso e nós ficamos preenchidos como UMA BOLA, sem princípio nem fim, repletos !

FestaManos11.jpg

FestaManos4.jpgFestaManos7.jpg

FestaManos8.jpgFestaManos12.jpg

FestaManos9 FestaManos10.jpg

ensarilharam-se as estradas dos dois…

«Balada Astral» é o primeiro single do novo álbum de Miguel Araújo e ontem FOI O MELHOR DO MEU DIA, no regresso a casa, debaixo de chuva. A canção foi gravada a duas vozes com Inês Viterbo. O vídeo é de André Tentúgal. O álbum «Crónicas da Cidade Grande» sai em Abril.
Se houvesse uma música ENCOMENDADA para hino da DÉCADA 
DE MATRIMÓNIO, QUE CELEBRAMOS este ano , este SERIA o TEMA! 

melhor_do_meu_dia_on

“Quando Deus pôs o mundo/ e o céu a girar/ bem lá no fundo / sabia que por aquele andar/ ele te havia de encontrar/ minha mãe no segundo/em que aceitou dançar/ foi na cantiga /dos astros a conspirar /e do seu cósmico vagar / mandaram teu pai / sorrir para tua mãe/para que tu / existisses também / era um dia bonito /e na altura eu também/o infinito / ainda se lembrava bem/do seu cósmico refém/e eu que pensava / que ia só comprar pão / e tu que pensavas / que ias só passear o cão / a salvo da conspiração / cruzamos caminhos / tropeçamos no olhar / e o pão desse dia/ ficou por comprar / e ensarilharam-se as trelas dos cães / os astros os signos os desígnios as constelações / as estrelas os trilhos / e as estradas dos dois…”

A(S) FONTE(S) DA VILA

POST SCRITPUM: uma sugestão de leitura que combina com a fonte e vem a calhar para nos consciencializarmos ainda mais deste saborear o que é NOSSO e do prazer de viver…

mergulhadormanco
Na nossa vila existem 7 fontes (se não estou em erro) distribuídas pelos vários lugares da freguesia. Creio que em todas há água fresca corrente e tanques onde já se esfregou muita conversa de aldeia e se lavou muita roupa suja. Uma delas fica ao final de um estreito caminho, de entrada disfarçada, na Rua do Arieiro. É uma das duas mais próximas do nosso Benavente. Nos anos mais recentes, praticamente, todas as fontes foram alvo de intervenção, por parte da Junta de Freguesia. Foram limpos os espaços adjacentes, revestidas as paredes com azulejos e na maior parte delas renovadas as coberturas e melhorados os acessos. As fontes voltaram a ser lugares aprazíveis e cuidados. Da observação esporádica, temos vindo a reparar que as pessoas regressaram àqueles locais, com carretas carregadas de tapetes e trouxas de roupa.

vamosfonte

paisagem

Nós gostamos de fontes, como gostamos de quase tudo o que envolve chão (d)e memórias na Terra dos Que Vivem Aqui: a Praça, o coreto, a Rua da Adrep, o telhado da fonte da Tojeira, a descida da Pedreira, etç….
Devemos ser dos visitantes mais frequentes da fonte do Arieiro. Não para lavar, porque ainda não nos aventurámos nessa poupança, mas pelo prazer de ali ficarmos a ver a paisagem e a ouvir pássaros e água a correr. Há vários anos que este lugar se foi tornando especial, quase uma extensão do nosso Benavente, um sítio mágico, sempre bucólico,  onde vamos vendo passar as estações.

mergulha
Este fim de semana a fonte ganhou outra frescura. Pela primeira vez, os manos foram ao banho (completo) na fonte. Os tanques do meio, com água límpida e gelada, foram a brincadeira perfeita para aliviar dois dias de intenso calor. Quem não tem as fontes de Roma e os repuxos de tantas cidades, onde gostávamos de nos passear e refrescar, pode sempre recorrer ao que existe perto de si. É isso mesmo que vamos fazendo, desfrutando cada vez mais DAQUILO QUE É NOSSO!banhosnafonte

fontedoarieiro
A fonte da vila foi uma DAS estações do nosso VERÃO. Verão bom, bom, bom!!!
Só espero que estes mergulhos não dêem direito a coima ;)…os avisos por ali são apenas do cuidado com o lixo, e esse temos sempre em excesso, já que aproveitamos as visitas para fazermos o LIMPAR as fontes de PORTUGAL na nossa vila).

ÍTACA

Para onde caminhamos? Quantas vezes fazemos esta pergunta e conversamos sobre isto? Talvez menos do que aquelas que deveríamos?! Talvez…é essencial não perder Ítaca de vista para sabermos onde estamos MENINOS. Mas chegar a Ítaca pode não ser o mais importante, talvez viver em direcção a Ítaca seja mais real e, por isso, mais belo e verdadeiro.

rapazesdamama.jpg
Quando partires de regresso a Ítaca,

deves orar por uma viagem longa,
plena de aventuras e de experiências.
Ciclopes, Lestregónios, e mais monstros,
um Poseidon irado – não os temas,
jamais encontrarás tais coisas no caminho,
se o teu pensar for puro, e se um sentir sublime
teu corpo toca e o espírito te habita.
Ciclopes, Lestregónios, e outros monstros,
Poseidon em fúria – nunca encontrarás,
se não é na tua alma que os transportes,
ou ela os não erguer perante ti.manhastranquilas.jpg

opapagaio.jpg
Deves orar por uma viagem longa.
Que sejam muitas as manhãs de Verão,
quando, com que prazer, com que deleite,
entrares em portos jamais antes vistos!
Em colónias fenícias deverás deter-te
para comprar mercadorias raras:
coral e madrepérola, âmbar e marfim,
e perfumes subtis de toda a espécie:
compra desses perfumes quanto possas.
E vai ver as cidades do Egipto,
para aprenderes com os que sabem muito.

Terás sempre Ítaca no teu espírito,
que lá chegar é o teu destino último.
Mas não te apresses nunca na viagem.
É melhor que ela dure muitos anos,
que sejas velho já ao ancorar na ilha,
rico do que foi teu pelo caminho,e sem esperar que Ítaca te dê riquezas.brincadeiras.jpg

conchas.jpg
Ítaca deu-te essa viagem esplêndida.
Sem Ítaca, não terias partido.
Mas Ítaca não tem mais nada para dar-te.
Por pobre que a descubras, Ítaca não te traiu.
Sábio como és agora, senhor de tanta experiência,
terás compreendido o sentido de Ítaca.agua

Konstantinos Kaváfis | In Os Poemas, Konstandinos Kavafis, Relógio d’Água Editores, Lisboa, 2005

FAMÍLIA, ESCOLA DA VIDA

O padre José Tolentino Mendonça propôs este sábado em Belo Horizonte, no Brasil [ ONDE COMEÇOU ONTEM MAIS UMA JMJ ] , uma reflexão sobre sete bem-aventuranças para a família cristã, durante a conferência “Família, Amizade, Afetividade e Sexualidade: desafios para um amor integral”. Para o consultor do Pontifício Conselho para a Cultura, a família não pode ficar desagregada: «É o lugar onde aprendemos a amar, compartilhar, resolver conflitos e dar o valor ao afeto. A família precisa ser uma escola da vida».

girassol

7 bem-aventuranças para a família cristã

Bem-aventurada a família hospitaleira. Não somos nada e de ninguém. Precisamos aceitar as graças e fraquezas de todos os integrantes da família. É o princípio da incompletude e da comunhão, ou seja, cada um completa-se com as suas qualidades e defeitos. Sozinhos, ficamos aquém de nós mesmos.

Bem-aventurada a família que combate o analfabetismo do afeto. Os membros da família precisam de acolher as pessoas como elas são, o que fizeram e o que serão. É preciso abraçar as hesitações e ter afeto com todos.

Bem-aventurada a família que dá importância ao inútil. Vivemos num mundo em que tudo precisa de motivo, função e posição. Precisamos aceitar a perder para dar.

Bem-aventurada a família que não deita fora a “Caixa de Brinquedos”. A “Caixa de Brinquedos” da família é o tempo para conversar, lembrar acontecimentos do dia a dia, realizar atividades lúdicas, interagir idosos com crianças, resgatar momentos de alegria, como receitas de avós e o Natal. Muitas famílias deixaram de abrir as “Caixas de Brinquedo”, tendo perdido a oportunidade de construir um amor integral.

Bem-aventurada a família que usa bem a crise. «Somente por meio da crise é que podemos ver a verdade e o sentido da vida. A experiência da crise é importante para evitar o pior, e viver a vida com profundidade e não superficialmente. Crise é libertação e independência.»

Bem-aventurada a família que acredita ser um laboratório da alegria. A felicidade é singular como rir e chorar. A família que é laboratório da alegria é fábrica de abraço e doação.

Bem-aventurada a família que vive aberta ao mundo e a Deus. Vivemos rodeados de perguntas, e a família de hoje é uma delas. A família precisa de estar aberta para trocar conhecimentos para alcançar o amor.