MAIS FILMES…

A lareira convida e os serões de inverno continuam a ser de filmes e séries. Este fim de semana vimos “Miral” (Julian Schnabel’s fourth feature film, based on an autobiographical novel by Rula Jebreal, 2011), um filme baseado na obra homónima de Rula Jebreal que aborda o conflito palestino percorrendo meio século de conflito no Oriente Médio através de quatro gerações de mulheres numa região marcada pela raiva, conflito e guerra. Os destinos destas mulheres estrelaçam-se na busca frenética de esperança, da justiça e da reconciliação. Miral é um dessas mulheres que aos 17 anos é destacada para dar aulas num campo de refugiados e aí toma consciência da luta do seu povo, apaixona-se pelo ativismo político e divide-se entre esta luta e a crença na educação como o caminho para a paz.

MiralFilme

INSIDE-OUT-19Com os miúdos assistimos a “Divertida Mente” (Inside Out, 2015), uma comédia de animação para toda a família que conta com a assinatura de Pete Docter (“Monstros e Companhia”, “Up – Altamente”) e de Ronaldo Del Carmen.Um bom filme da Pixar, que aborda o conceito da psicologia da criança explicando-o de forma brilhante e divertida, transmitindo ao longo do filme várias mensagens positivas revela-se muito educativo para as crianças, nostálgico e assertivo para quem já é crescido.
Juntos embarcámos na viagem ao interior do cérebro de Riley, uma garota divertida de 11 anos de idade que enfrenta mudanças importantes na sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, a Alegria, o Medo, a Raiva, a Repulsa e a Tristeza. No centro de controlo no interior do cérebro de Riley, são eles que a vão aconselhar ao longo do dia…
001

EM BUSCA DA FELICIDADE…

Mais um fim-de-semana em busca da felicidade. Com muita chuva, o regresso ao futebol, a arrumação do Natal, bastante lareira, almoço com os avós, bons filmes, ida ao teatro, alguns jogos, muita roupa por secar e a gulodice do costume, desta vez aos doces (bolo de coco) juntaram-se os aperitivos salgados, vestígios da quadra natalícia.
teatro_ceta_jan16Para primeira peça de teatro do ano com os miúdos “Agustina e a felicidade”  revelou-se a peça perfeita para inspirar pequenos e graúdos ao ano de 2016 que começou de mansinho nestes dez dias.
Uma história original de Ana Salgueiro com encenação da mesma, onde nos é contada a história de Agustina, uma menina que adora ler  viajar em sonhos. Num desses sonhos inicia uma viagem à volta do mundo, à procura da felicidade. Pelo caminho encontra gente de outros países que a ajudam nessa busca e vive peripécias que lhe dão treino e coragem para enfrentar as etapas seguintes. Será que ela encontra a sua felicidade?
Teatro_ceta_AgustinaUma história divertida que aborda a importância dos livros, da imaginação, da curiosidade, da capacidade de sermos aventureiros toda a vida e de nunca desistirmos de procurar ” a nossa praia”. Uma peça que nos leva pelo mundo, nós entre tantos e todos, diferentes que se complementam. Que recorda a todas as crianças que até os medos têm medos…e que lhes temos de dar asas para que voem!!!!
Uma peça para a infância feita com simplicidade e encenada sem subestimar a inteligência das crianças…gostámos muito!
[AINDA PODEM IR VER a peça ao CETA, nos dias 16 e 17, 30 e 31 de janeiro, sempre às 16h00]

No sábado foi o dia do pijama para três de nós. E uma festa destas pede não só uns aperitivos em frente à lareira, mas um par de filmes e umas páginas de boas leituras que ficaram finalmente em dia. Assim foi. minhas-tardes-com-margueritte_2010Dos filmes que vimos este fim-de-semana sugiro: Minhas Tardes com Margueritte – um filme delicado e divertido sobre a amizade, o prazer de viver e de aprender, realizado por Jean Becker e interpretado pelo admirável ator Gérard Depardieu. Conta a história de Germain, uma criança que nunca foi amada pela mãe e que foi chamado de burro na escola por todos. Ao crescer, a dificuldade em ler foi-se perpetuando numa espécie de bloqueio intelectual. Já adulto, sua vida se resumia a viver de favores e serviços e sempre a ser alvo de gozo dos amigos ao mesmo tempo que sempre conviveu com o eterno desamor da mãe. Contudo, quando Margueritte (Gisèle Casadesus) faz com que as páginas de um livro se abram novamente para ele, este reencontro com o universo das letras amplia seu horizonte e o único limite – agora – será somente a sua vontade.
Imaginem o encontro de duas forças: de um lado mais de 100 quilos de pura ignorância e do outro menos de 50, carregados de ternura. Entre eles, uma diferença de décadas de idade e em comum, o encanto pelos livros. Esta é a história de um cinquentão pobre com as palavras e uma idosa inversamente rica com elas.