We´ve got mail and we ♥ it

Se este final de dia tivesse música soaria a “Homesick” dos Kings of Convenience.

Hoje valeu a corrida a três. Vamos sempre na expectativa e quase sempre invento uma desculpa. Hoje nã precisei da história. Tivemos surpresa das boas. Tinhamos novidades fresquinhas na espreitadela da ranhura. Tivemos correio à séria. Daquele que chega em envelopes com letras manuscritas, entre selos e carimbos. Correio do tradicional, pois claro! Daquele que que descansa em casa própria até chegarmos sem o peso das arrobas.
Dose dupla de A4’s trouxeram notícias e surpresas do sul.  Um andou de avião para nos chegar do sul de Espanha. Foi um “Consuelo”, recordarmos no chão da entrada o Firmes en La Fe em dueto divertido. Eu e ele, os mesmos que vinham no recorte do jornal de Córdoba que a nossa Consuelo nos enviou.  A outra, alcochoada e decorada com letra familiar, trazia o destinatário que me atirou ao céu, como se os girassóis tivessem casa! Gostei tanto tanto que a apertei junto ao peito como se estivesse a abraçar a minha irmã. Sinto muitas saudades dela. Nunca fomos de passarmos horas ao telefone e por isso disfarcei alguma tristeza que ele podia não entender. Era dele o momento. Li a carta, enquanto ele foi desdobrando a surpresa. Duas t-shirts pintadas à mão e uma folha amarela com um Palhaço.
A felicidade de um fim de tarde pode chegar por correio. We´ve got mail and we ♥ it.

YOU’VE GOT MAIL

Nos últimos meses a nossa caixa do correio tem andado numa azáfama, com mais notícias do que era comum.  À caixa, novidades do nosso e de outro país chegam-nos com frequência por estes dias. As distâncias  e a saudade têm contornado modernices e fazem perdurar no tempo a magia de abrir um envelope. Entre as contas, a publicidade e algumas responsabilidades, temos encontrado postais, cartas e envelopes coloridos. Um correio mensageiro de saudades, votos e novidades. Com isto temos apreciado a caligrafia e os selos e contado os dias desde o carimbo. A espera e a emoção foram crescendo de tal forma que já acordámos ao sábado e fomos a correr, de chinelos e pijamas,  espreitar a caixa mágica. Um destes sábados decidimos andar pelas redondezas registando algumas das caixas que nos foram chamando a atenção.