David Bowie

Impossível passar ao lado daquilo em que tantos estamos de acordo sobre Sir David Bowie – um artista extraordinário que nos fez dançar, sonhar, cantar e admirar na forma de fazer canções e de se reinventar permanentemente.

“Inovador, múltiplo e genial. David Bowie é o maior ícone da música popular dos últimos cinquenta anos e encerra agora a carreira com um disco que é um testamento.

O último vídeo de David Bowie mostra-nos o camaleão que todos conhecemos numa cama de hospital, anunciando já não ter “nada a perder”. “Lazarus” foi lançado há três dias e antecipava a partida do génio.”
informação retirada DAQUI.

Geronyom & Terra Pan – conhecem?

Domingo cinzento, manhã de chuva miudinha e uma descoberta nova na rota das novas sonoridades : Geronyom (nome artístico de Ricardo Jerónimo Martins), músico, compositor e executante de Terra Pan (one of the newest musical instruments on the World, combining Steel Drums from Trinidad & Tobago, Gamelan from Indonesia, Ghatam from India, Gong from China, Tibetan Bowls from Tibet and Udu from Africa), que o tem acompanhado em inúmeras digressões internacionais ao longo dos últimos dez anos.

Let’s “HANG ON SPACE”.

DA SUA PÁGINA OFICIAL
“I’m an independent musical artist, composer, percussionist & sound healer. In the past 10 years I’ve been living, traveling and playing around the world. Brazil, India, USA, Morocco, Thailand, and European Countries (Spain, France, Switzerland, Ireland, Wales, England, Finland, Holland, Norway, Hungary, Poland, Czech Rep. and Sweden) have been my destiny while seeking artistic, intuitive, genuine and creative musical approaches.

I’ve studied music in Waldorf School in Helsinki – Finland. The holistic approach used by Rudolf Steiner method gives attention to each human being as an unique source of art and reveals each ones secrets skills. Mine is the emotional freedom to express my feelings though music.

The ‘Momentum Music’ it’s what i really love and it’s the inspiration to play organic musical melodies with hypnotic grooves and heart beats.

I’ve been performing in festivals, live concerts, live art journeys, dance classes (biodanza, 5rythms, contact impro,vital-development), meditation & yoga classes, theater acts, street art and soundtracks for movies.

Geronyom, artistic nomination, comes from my portuguese civil name Ricardo Jerónimo Martins. It’s also inspired in: Geronimo the indian native american apache that lived to be a free human, ‘Y’ from Ying / Yang balance, ‘G’ the Generator of Bio Music & the sacred mantra “OM” (heaven, earth & underworld).

I’m cooperating with Terra Tonz – TerraPan from USA (www.terratonz.com), because i believe in the full life time tuning skills from Ellie Mannette (creator of Steel Pans from Trinidad & Tobago) and the Visionary Maker of TerraPan Christopher Ryan Karanovich.

** Hang – Handpan – Terra Pan (one of the newest musical instruments on the World, combining Steel Drums from Trinidad & Tobago, Gamelan from Indonesia, Ghatam from India, Gong from China, Tibetan Bowls from Tibet and Udu from Africa). I’ve been exploring all the different handpans since the story started: Hang 1st generation, Hang 2nd generation, Integral Hang, Gubal, Halo, Bells, SPB, Asachan – ESS, Orbi, Innersound, Spacedrum, Aciel, Steel Harp, Ayasa, Meraki, Sunpan, etc….”

Feliz Natal nesta grande casa que é de todos

Nós por cá gostamos de agradecer, mais do que pedir. Na reta final desta caminhada de advento deu-nos para colocar algumas das nossas músicas favoritas e fazer da nossa sala a melhor pista de dança das redondezas. Posso garantir que é uma excelente terapia para descontrair no final de uma semana intensa de trabalho (onde contei 7 dias para lá das 40 horas). Então do que se lembra uma mãe faz quando chega a casa num domingo à tarde?
Afasta os móveis na sala e desafia os rapazes à dança, o resultado é o nosso vídeo do Natal 2015.
Fugimos das habituais músicas de Natal e viajamos até 2008 (com um CD praticamente riscado) com o Planeta Azul da Leopoldina a entoar um dos temas mais repetidos cá em casa. Uma música que fala da necessidade de cuidarmos da nossa casa comum, a tal “que se pode comparar ora a uma irmã, com quem partilhamos a existência, ora a uma boa mãe, que nos acolhe nos seus braços: «Louvado sejas, meu Senhor, pela nossa irmã, a mãe terra, que nos sustenta e governa e produz variados frutos com flores coloridas e verduras».
A terra nos precede e nos foi dada, estamos convictos que a expressão da fé pode e deve ajudar a criar esta comunhão de “respeito à natureza, defesa dos pobres e desenvolvimento da fraternidade”.

https://www.wevideo.com/embed/#545859739

Esta é de alguma forma e ao nosso jeito (com as parvoíces do costume) a nossa mensagem de Natal: a nossa fórmula de louvor e gratidão a Deus por tudo o que Ele criou – LAUDATO SI’ –  e um pedido para nos continuar a dar a graça de nos sentirmos intimamente unidos a tudo o que existe, enquanto parte desta construção de um futuro melhor, de justiça, paz, amor e beleza.
Temos a certeza que daqui a um ano nos vai fazer rir às gargalhadas…

ensarilharam-se as estradas dos dois…

«Balada Astral» é o primeiro single do novo álbum de Miguel Araújo e ontem FOI O MELHOR DO MEU DIA, no regresso a casa, debaixo de chuva. A canção foi gravada a duas vozes com Inês Viterbo. O vídeo é de André Tentúgal. O álbum «Crónicas da Cidade Grande» sai em Abril.
Se houvesse uma música ENCOMENDADA para hino da DÉCADA 
DE MATRIMÓNIO, QUE CELEBRAMOS este ano , este SERIA o TEMA! 

melhor_do_meu_dia_on

“Quando Deus pôs o mundo/ e o céu a girar/ bem lá no fundo / sabia que por aquele andar/ ele te havia de encontrar/ minha mãe no segundo/em que aceitou dançar/ foi na cantiga /dos astros a conspirar /e do seu cósmico vagar / mandaram teu pai / sorrir para tua mãe/para que tu / existisses também / era um dia bonito /e na altura eu também/o infinito / ainda se lembrava bem/do seu cósmico refém/e eu que pensava / que ia só comprar pão / e tu que pensavas / que ias só passear o cão / a salvo da conspiração / cruzamos caminhos / tropeçamos no olhar / e o pão desse dia/ ficou por comprar / e ensarilharam-se as trelas dos cães / os astros os signos os desígnios as constelações / as estrelas os trilhos / e as estradas dos dois…”