7 & UMA SALVA DE PALMAS

manos7anosdepoisHá 7 anos, as manhãs voltaram a ser de espanto, contemplação e amamentação, continuava a beliscar-me para acreditar que já era mãe de dois rapazolas saudáveis e bem-dispostos. Continuava a sentir-me uma menina, com 30 anos, e o Benavente foi um privilégio para os 4 meses de licença de maternidade a que tive direito.
O Pedro ainda dava aulas, mas desta vez bem mais perto, aqui mesmo ao lado em Vagos. O Salvador tinha 4 anos e acompanhou com muita curiosidade toda a gravidez, com imensas perguntas, e a chegada do irmão foi muito desejada. A família voltou a aumentar no dia 1 de abril de 2010 e nós que achávamos que não seria possível dividir o amor que sentíamos percebemos que o amor não se divide, multiplica-se! Ao contrário do que nos iam dizendo, não sentimos qualquer mudança no comportamento do Salvador. Foi um irmão atento e curioso, nunca lhe identificámos atitudes de ciúmes ou dificuldade em lidar com a nova condição.
Quanto ao nosso Sebastião, o bebé grande de olhos enormes e marca Carvalho no tom de pele e cabelo farto, continua um miúdo gigante em doçura, cresceu também na teimosia. Se a escola não lhe interessa tanto é porque gosta bem mais de brincar, brincar, brincar. É de fácil convencimento e como sempre viu mais tv que o irmão a publicidade aproveita-se disso: pede tudo que vê…mas vai entendendo que mais ser criterioso no que quer porque não tem alternativa e não vamos nas suas cantigas!
patinadorÀ semelhança dos outros, é uma criança super saudável (come fruta até se enfrutar…) e ficou de cabeça dura com tanta queda que foi dando sozinho atrás do irmão nas suas investidas arrojadas para descobrir o mundo. É um às do equilíbrio e tem uma destreza física invejável. Sobe árvores e salta muros altíssimos, andar de bicicleta sem  rodas foi cena para fazer aos 3 anos e ficou viciado em futebol desde que entrou na escola! O relato dos jogos dos intervalos são a sua atividade favorita quando tentamos perceber como correu o dia na escola, quais letras e trabalhos quais quê???!!! É discreto no modo, mas rapidamente percebemos que em grupo de amigos todos lhe têm especial carinho…e eu acho que sei porquê e é nisso que muito o admiro: é muito sentimental e tem um sentido de compaixão fora do comum, para criança!
dreamteam_7anosSebastiao
Na celebração do seu 7º aniversário, para seu enorme contentamento, reuniu uma mão cheia de bons amigos numa tardada de jogo debaixo do céu de um dia magnífico de Primavera.
Disse-nos ao final do dia: – 
Preciso de uma bacia com água quente para os pés… – estava exausto –  foi um granda jogaço!
A família Giragirassol ficou bem mais rica (e divertida) desde a sua chegada, hoje somos cinco também graças a ele…não seríamos os mesmos sem o nosso pequeno gnochi !
cenap_sebastiao

Chegaste ♡

quatroanosSebastiao.jpgSebastião. Segundo filho, irmão do meio, caracoletas predileto, “teimodoce” de uma energia inigualável, bate qualquer um cá em casa. É um Rei à prova de bolas, frio, quedas, curvas e contracurvas, excesso de gomas e iogurtes passados da validade. Dizem que é um “Pedrito em ponto pequeno”. Um pequeno com ânsia de crescer, aprender a assobiar, fazer corridas de bicicleta tão rápidas como o irmão e alcançar a lua com uma escada no quintal.
Hoje chegou ao 4, mas eu cá não desconfio que este  carneiro, aventureiro, divertido e ginasta chegue sempre mais longe e mais alto. Quem sabe, um dia, à lua do quintal…
–  Meu pequeno Rei:  hoje chegaste aos teus 4 anos e a única prenda que peço é que a minha santa paciência, tantos dias em vias de extinção para contigo, não me  contenha de redobrar a atenção e o carinho que tu mereces e precisas! quatroanosSebastiao_2.jpg

Bonjour Madames et Monsieurs

CHEZ-LUI,

IL S’APPELLE LE ROI!!!

LEroi2

Nunca como antes desejei tanto uma segunda feira. Depois de 30 horas com este REI DAS MANIAS E DO NÃO, exclusivamente, à minha guarda no sábado com o Salomão e ontem com os 3, eu só pedia ao tempo para acelerar a direito. Sem luz em parte da casa, com a dispensa a ficar vazia e com os três a exigirem atenção, eu juro que ontem, por volta das 18h00, me cruzei com um Ai que me Vou-me Chamuscar da Cabeça (AVCC). Felizmente o bom senso levou-me ao sofá, as coisas acalmaram com os mais velhos por minutos e apareceram os INEM’s cá da vila. Que é como quem diz os avós.

Quando me deixaram fiquei com meio sossego, com o mais velho longe do REI. A implicância com o irmão mais novo continou, mas o sono veio finalmente por volta das 20h30, depois de uma palmada no rabo que levou o mulo até ao sofá. Remédio santo.  Em dois minutos adormeceu. Eu aterrei logo de seguida, deste assalto final, completamente extenuada.

É segunda feira e eu respiro fundo et  “Le Vent Nous Portera …Et tout ira bien”.

SALOMÃO, UMA CHEGADA SERENA

Faltava colar esta página no livro da nossa história. Aqui fica  – 19 abril 2013 – uma semana depois a tua chegada para que a possam reler um dia, JUNTOS.
PARTO DO QUE AINDA ME LEMBRO, PORQUE O ESSENCIAL VIVEMOS e havemos de vos repetir vezes sem conta!ele_oesperado_monitorizaoparaPARTO.jpgE na 39ª semana e 4 dias nasceu o Salomão, de parto normal, pelas mãos de uma equipa feminina. Elas e eu, juntas numa cumplicidade confiante desde o 1º momento de que haveríamos de dar à luz daquela tarde solarenga de abril uma realeza. Depois de uma madrugada de contrações de alerta, no tempo e frequência, a viagem para Coimbra tornou-se inevitável. Sem trânsito, sem ansiedade e em boa companhia, com um Sunday Smile de Beirut, entrámos na cidade com o dia a querer nascer. Como o Salomão. Depois, foi apenas uma questão de tempo, alguma paciência, a ajuda de uma ventosa e três ou quatro puxadelas na maré das contrações.eu_entradaUSB_salapartos.jpg
Pelas 18h30, e depois de 5 horas na sala de partos a dar tempo ao tempo, eis-nos os dois perplexos, encantados, a viver mais um momento inaugural. APAIXONADOS POR UM BEBÉ, de novo, pela terceira vez em 7 anos. O Salomão nos nossos braços, 50 cm de vida nova com 3,550 kg e um coração a inaugurar palpites fora de mim. Pasmados e deliciados com aquela pequenez a que nos fomos desabituando, reparamos na ponta do nariz pisada. Cómico para começar – será sinal ou pisadura? – sacana que nasceu a meter logo o nariz onde não era suposto!!! E tão perfeitinho, tão clarinho de sobrancelhas, de pele…tão NOSSO!
Pedro_omnipresentedabataverde.jpg
A sós com ele, já no corredor de distribuição das salas de partos, todos nas papeladas e nas operações a trabalhar, o Pedro na comunicação da BOA NOVA do lado de fora da sala, e eu com ele ali a sós pela PRIMEIRA VEZ olhos nos olhos, os meus pensamentos:
– Meu Deus como é possível? Um ser humano tão pequenino, tão frágil, tão delicado, tão nosso, tão alheio a este exterior que o vai cobrir dentro de momentos com tudo o que ainda lhe é tão estranho. Ele que se formou, cresceu e sobreviveu quase trezentos dias dentro de mim está aqui, junto ao peito, à procura da minha maminha !? O milagre da vida e nós tão próximos dos animais, da natureza, da gestação de um SER VIVO, sem dúvida!
Como ignorar a maravilha que é a vida?
Como atentar contra ela?
Eles, pessoas totalmente dependentes de nós. Como não amar incondicionalmente um bebé que se formou em nós, a partir de nós, que se faz gente connosco?
 
Já na cama 66 fez-se o primeiro silêncio. Nós e ele. Três. Aquele abraço onde couberam os ausentes, eles que ali estiveram sempre connosco, toda a tarde, os outros dois, os nossos filhos. Os que nos tem demonstrado que isto de ser pais é parte da nossa vocação. Encantamento indescritível. Uma memória de repetir a felicidade de me inchar o peito até ao limite. Como se o coração estivesse a testar-me. Catarina, Pedro e Salomão e a perplexidade de nos olharmos pais de novo. Demasiado grande para caber em qualquer palavra. Não poderia ser de outra maneira, acho que sempre fomos assim, os cinco, só não nos conhecíamos ainda.oprimeiroabraodamae_19abril.jpgoprimeirobeijodopai_19abril.jpg
 
A chegada deste SPECIAL ONE foi aquele momento extraordinariamente mágico, especial e único, tal como os restantes, com a particularidade da intensidade do tempo do seu impacto, estrondoso  no grande encontro a cinco  no dia seguinte. As pernas tremeram quando comecei a  pressentir no corredor a euforia do Sebastião e o brilho emocionado do olhar do Salvador…
Certamente, alguma da experiência de saber o que nos pode esperar e o facto do trabalho de parto ter decorrido de forma mais célere, fizeram com que este fosse de longe o nascimento mais sereno e menos extenuante.  O que se tem vindo a refletir de forma BASTANTE  POSITIVA nesta primeira semana de vida dele e na minha recuperação. Aventuras das boas nos últimos 6 dias não nos faltam!!!
 
 
APARTES EM JEITO TELEGRÁFICO…
portaUSB.jpg
Sim, era repetente e sim tive algum medo; Sim, não gosto muito de seringas, sobretudo de ver, mais que doer, e picaram-me
 que se fartaram porque tenho veias bailarina. Tive a sensação que à semelhança dos computadores, o nosso corpo é uma máquina cheia de entradas USB (soro, epidural, ocitocina, etç…);
Sim, finalmente soube bastante bem o que eram as contrações…sim, são dolorosas, mas aguentam-se. Nada do outro mundo;
Sim, a epidural ajuda imenso a desfrutar e colaborar de forma menos penosa no parto, se voltar a ter filhos repetia tudo igual; Sim, continuo a achar que as explicações do que está a acontecer, e as conversas ajudam imenso a desmistificar os medos, mesmo se estamos a ter um filho pela 3ª vez ou a sermos suturadas sem sentir nadinha; Sim, a minha barriga era bastante linda e eu mega orgulhosa de sua realeza, mas depois do nascimento passa a ser uma entidade estranha pra caraças que mandava de férias na boa;
IMG_0622Não, nada é por acaso e no meu quarto – o QUARTO DOS S’S originais do dia – na caminha mesmo ao lado, passei a terá partir da madrugada de sábado uma menina SERENA, primeira filha de um casal jovem de quem ficámos amigos… Sim, a maternidade foi de novo a escolha mais acertada, o desconhecido nunca nos assustou, sempre confiámos nas boas experiências e sem conhecermos ninguém em Coimbra voltámos a encontrar “gente muito boa” de novo naquela equipa de profissionais; Não, não somos contidos, os nossos dois filhos instalaram a alegria e a confusão de crianças no quarto andar da maternidade no sábado, no dia seguinte todos sabiam de cor os seus nomes e comentavam caracóis e balões dos dois irmãos do Salomão; Sim, vou continuar a ter lembranças bem diferentes das que ouço de outras parturientes  vou gostar de me lembrar dos lanches e das ceias da maternidade, do sabor do pão com manteiga e do café com leite. Não, não tenho paciência para lamentar nada porque me sinto uma privilegiada em tudo o que voltei a viver nestes 3 dias em Coimbra, passados na Maternidade… Sim, até em matéria de visitas nós fomos originais SEM planear ou pedir foi só mesmo o essencial: sábado tivemos 3 visitas (DAS BOAS) e tivemos um domingo verdadeiramente familiar com a única visita do dia a chegar da COSTA RICA, via chat com a famelga toda em cima da cama em amena cavaqueira, e a emoção de sabermos que algures na missa da família Martinez houve uma prece pelo Salomão, “que nasceu na sexta-feira em Portugal”;
SalomaoPereiradeCarvalho.jpg
Não, nada a apontar ao serviço público de saúde ali prestado, muito pelo contrário, excelente!Sim, Entrei e saí sem pagar nadinha
De tudo só tenho a lamentar o facto dele não ser dador de sangue do cordão umbilical, tal como foi o Sebastião. Tudo porque temos um Banco Público, excelente iniciativa muito mal pensada que agora está em revisão e que por isso não permite recolhas além do hospital S. João. …e COM UM CIDADÃO NOVO DESTE PAÍS –  Salomão Pereira de Carvalho registado pela mesma senhora que já registou o Sebastião e que me veio dizer isso MESMO ao quarto na segunda-feira.  Extraordinário!!!!

3 ANOS DE REINADO

celebramos.jpgEstávamos mesmo equivocados, quando antes dele, e relativamente aos filhos, conversávamos sobre como iria ser dividir tamanho amor que vínhamos sentindo e e vivendo com o Salvador. O Sebastião foi igualmente desejado, a sua chegada foi especialmente única e tudo na sua longa espera foi intensamente vivido. Como seria possível dividir tudo o que com um primeiro filho foi sendo inaugural e sempre tão empolgante ?A verdade é que foi COM ELE, este pequeno rei  de abraço e sorriso fácil, que logo nos primeiros segundos de vida, e depois no encontro a 4, fomos totalmente arrebatados com a grande “revolição” dos filhos no plural: O AMOR NÃO se divide, MULTIPLICA-SE!

sebastiaocom3anos.jpg

Os últimos 3 anos confirmam a grande revelação desta segunda vida que nos calhou em graça. Tem sido assim desde 1 abril de 2010. Amor e experiência a dobrar. Porque nada, mas mesmo nada, deixa de ser especialmente SINGULAR, porque vivido por um ser distinto, e com a vantagem que já tivemos uma primeira vez para quase tudo e podemos melhorar com o que fomos aprendendo. O nosso pequeno concentrado de energia diária, um menino de caracóis fartos cheio de saúde, vai crescendo como se já conhecesse quase todos os passos do caminho que se lhe abre. Quer ser grande e estica-se em cima das cadeiras, conta as escadas até lá acima e discorre uma dezena de perguntas na mesma meia hora. Um menino curioso, teimoso e meigo. Carneiro, como o irmão mais velho. A quem imita e finta no jogo de futebol. 
Um menino feliz, que do meio e MUITO em breve, só terá uma data  – 1 de abril – porque este trio de pequenos e bons rapazes ocupará sem ordem e por completo os corações de onde saíram em forma de amor para se fazerem pessoas.

sebastiao_mesesferias

o amor é azulzinho…

entrelaardelinhas.jpg  moiaussi.jpg                          vestirternura.jpg

emtonsdeazul.jpg

AZUL
Eu não sei se vem de Deus
Do céu ficar azul
Ou virá dos olhos teus
Essa  cor que azuleja o dia?
Se acaso anoitecer
Do céu perder o azul
Entre o  mar e o entardecer
Alga-marinha vá na maresia
Buscar ali um cheiro de azul
Essa cor não sai de mim
Bate e finca pé
A sangue de rei
Azul, Djavan

REWIND & REPEAT, será pedir muito?

remembering_7.jpg

Sem mentiras, porque 1 & 2 de Abril de 2010, foi mesmo  sempre a TRANSBORDAR de felicidade. Tal como o 24 & 25 de Março de 2006.
Seria pedir muito, repetir ALGO DO GÉNERO lá para os dias vinte e poucos de Abril de 2013?
Maternidade pública acolhedora, parto normal com epidural, espera longa com tempo para risota e peripécias [1º um dente neonatal e no 2º uma greve a interromper a indução e um bebé com quase 4 kg..], mais um amiguinho do peito esfomeado, sempre as roupinhas delicadas, um companheiro de luxo o lado e AGORA dois manos com 4 abraços e um punhado de balões alegres na primeira visita do dia 1 do Salomão!!!?
Às quase 32 semanas começo a ficar medricas. Contornar isto fica mais fácil passeando pelos filmes anteriores!
Até parece simples.

remembering_4.jpg

remembering_8.jpg

remembering_5.jpg

remembering_3.jpg

remembering_9.jpg

remembering_2.jpg


remebemring_3.jpg